Seminário de Ortopedia Pediátrica do São Camilo é sucesso de público

Publicado em: 24, maio, 2016

A manhã de sábado, 21 de maio, foi de muito aprendizado e troca de experiências para os 52 profissionais que participaram do I Seminário de Ortopedia Pediátrica do Hospital Infantil São Camilo, organizado pelo Dr. Rodrigo Galinari, ortopedista pediátrico, coordenador do Serviço de Ortopedia do hospital e pelo Dr. Lucas da Silveira Guerra Lages, ortopedista pediátrico e traumatologista, membro do corpo clínico.

Segundo Dr. Galinari, o Hospital Infantil São Camilo conta com uma equipe completa de Ortopedia Pediátrica e o evento foi uma excelente oportunidade de mostrar as patologias ortopédicas comuns na infância. O Seminário teve início às 8h da manhã e foi pontuado pela Comissão Nacional de Acreditação (CNA) para Pediatria, Ortopedia e Traumatologia.

Palestras – Dez palestrantes abordaram temas pertinentes ao profissional em formação em Pediatria, presentes no dia-a- dia do consultório dos pediatras e dos ortopedistas pediátricos. “A realização de um Seminário de Ortopedia era uma vontade antiga da equipe. Estamos muito felizes e nossa ideia é realização anual desse evento”, esclarece Dr. Lucas. Para ele, o encontro teve o objetivo principal de passar aos residentes e para os pediatras uma síntese das principais alterações ortopédicas em crianças.

A residente Camila Carvalho, do Hospital Municipal Odilon Behrens, foi uma das participantes. “Os temas debatidos trataram de doenças que são abordadas, muitas vezes, pelos pediatras”, contou. Renato Auzier, residente do Hospital das Clínicas da UFMG, saiu do encontro bastante satisfeito, uma vez que, para ele, a ortopedia é pouco vista nas graduações, quando não é uma matéria optativa. “Foi isso que motivou! Estou aqui para agregar conhecimento”.

O sócio-fundador e diretor administrativo financeiro do São Camilo, Dr. José Guerra Lages, fez uma excelente avaliação do I Seminário de Ortopedia Pediátrica, que tratou de um tema pouco abordado na formação dos cursos de residência. “Não queremos formar ortopedistas, mas sim formar um pediatra esclarecido e consciente da importância do diagnóstico precoce”, esclareceu.